Aviso: na biblioteca de Jacinto não se aplicará o novo Acordo Ortográfico.

16 novembro 2006

Grão a grão

Há muitos anos (muitos mesmo) li um ditado índio que nunca mais esqueci. Não me lembro das palavras exactas mas era qualquer coisa como isto: «A consciência é uma coisa com três cantos dentro do meu coração. Se eu ajo mal, ela move-se e os cantos magoam; se continuo a agir mal, os cantos gastam-se e deixam de doer.»

Vem esta memória a propósito de uma notícia que li num post do blogue "(Des)conversas em família", o qual me levou a um post do blogue "Conversas vadias". Depois conferi a informação numa notícia do ABC News e noutra do DN.

Referem-se todas estas fontes a uma decisão de um tribunal holandês que declarou a legitimidade de formação de um partido que pretende baixar a maioridade sexual para 12 anos, permitir que crianças desta idade possam actuar em filmes de carácter sexual e legalizar a detenção de material pornográfico em que essas crianças estejam envolvidas. Trata-se do PNVD, abreviatura neerlandesa para Amor Fraterno, Liberdade e Diversidade. Pretende também o PNVD que a televisão possa exibir pornografia a qualquer hora e que os jovens de 16 anos já possam exercer a prostituição. Baseiam-se estes "senhores" do PNVD numa lei holandesa que já considera as crianças com mais de 12 anos capazes de consentimento na questão da eutanásia.

Pois. É que, em 2002, a lei que despenalizava (esta palavrinha...) a eutanásia a doentes terminais foi estendida às crianças maiores de 12 anos, por se entender que, tal como os adultos, seriam capazes de produzir um consentimento informado.

Falta esclarecer que, na Holanda, desde 2000 que a eutanásia de adultos é permitida, desde que sejam capazes de decidir voluntariamente e de o solicitar por escrito.

Agora, no mesmo país (paraíso da liberdade individual) onde existe um partido pedófilo, cujo programa defende ainda que a nudez seja livre e que a instituição do casamento seja abolida, o Parlamento está a discutir o alargamento da despenalização da eutanásia a doentes que não sejam capazes de exprimir consentimento, como os doentes mentais e as crianças recém-nascidas.

Escusado será dizer que, na Holanda, o aborto a pedido é permitido até às 24 semanas (seis meses!) já há muitos anos. Mesmo que o pedido tenha apenas a ver com o sexo da criança ou com outro capricho qualquer.

Pois é. Por enquanto, 80% dos holandeses ainda considera que este partido deveria ser ilegal. Mas, pela teoria da evolução, os que nascerem a seguir (se os deixarem) já vêm sem cantos.

4 comentários:

manuel disse...

A natureza encarrega-se sempre de corrigir as aberrações. A Holanda está abaixo do nível do mar. O nível do mar está a subir. Quando os tais cantos estiverem mesmo para deixar de doer, não há dique que resista. Será o mesmo que puxar um autoclismo, daqueles dos antigos, com pega de porcelana e em que a quantidade de água despejada não estava ecologicamente racionada.

Professor disse...

É tudo uma questão de tempo... Não devemos esquecer que, há cerca de 30 anos, a homossexualidade ainda era uma parafilia!

D X disse...

Apesar de alguns exageros, a Holanda é o país mais equilibrado do mundo, um farol que ilumina todas as outras civilizações. Espero que Portugal siga o exemplo desta sociedade onde não existem tabus nem hipocrisias.

Não faz mal haver partidos que defendem a pedofilia. Mau será estes partidos ganharem apoio popular. Aí sim, estaria preocupado - não com o sistema, mas com as pessoas!

MCA disse...

Caro DX
Não me sinto nada iluminada por uma sociedade que gera tais aberrações. Mas cada qual é livre de pensar como quiser...