Aviso: na biblioteca de Jacinto não se aplicará o novo Acordo Ortográfico.

27 fevereiro 2007

Alfredo Kraus - Una furtiva lacrima

Há alturas em que gostava de ser contralto, tenor ou até baixo para poder cantar certas melodias que me arrebatam completamente.
Esta é uma delas, na maravilhosa versão do maravilhoso Kraus. A primeira vez que a ouvi foi na televisão, precisamente pela voz de Kraus, já em fim de carreira. Fiquei rendida. Uma ária que fará sempre parte da banda sonora da minha vida.



DONIZETTI, Gaetano - L'elisir d'amore. Ária «Una furtiva lacrima»

5 comentários:

André Alves Correia disse...

De sonho!

Gaspar Matos disse...

Olá, "Jacinta"!

Ainda a propósito do José Afonso - e a bem da sua memória - aqui fica um link para quem se interessar pela obra e vida do Zeca.

Associação José Afonso
http://www.aja.pt/
Blog da Associação José Afonso
http://vejambem.blogspot.com/

Um abraço!

Teresa disse...

Ó Clara, eu ainda nem estou em mim!

Encontrei um comentário seu no blog do Maia de Carvalho, fui bisbilhotar... e não passei da 1.ª página - que se continuasse tinha para a noite toda!

Leio com imenso interesse o post do plágio... desço um bocadinho e dou com o Kraus... depois a Traviata de 59 em S. Carlos, depois o Adagio Sostenuto do Concerto n.º 2 para piano... e ainda estava com a cabeça às voltas quando tropeço no Là Ci Darem la Mano no Don Giovanni daquele que é possivelmente o homem mais importante da minha vida, não sem tropeçar no Eça, que rivaliza com ele (o Oscar Wilde e o Proust também)! E a seguir ainda vem José ou Zeca Afonso...!

Convido-a a visitar o meu blog pessoal (tenho mais dois, mas esses estão ao serviço de amigos), A Gota de Ran Tan Plan, mais concretamente neste post: Dame Joan Sutherland, La Stupenda.

Entretanto, à laia de pedido de desculpa por me ter aventurado sem convite na Biblioteca de Jacinto (é em Tormes ou no 202?), gostava de lhe deixar aqui um presente. Terá de ficar para outro dia, o GoEar está aparentemente em manutenção.

Até sempre.

MCA disse...

Teresa
Muito obrigada pelas suas palavras. A Biblioteca de Jacinto tem as portas abertas para todos os visitantes.
Vou retribuir a visita.

Anónimo disse...

Teresa!

A Traviatta do Kraus/Callas foi em 27-Março-1958.

sealion