Aviso: na biblioteca de Jacinto não se aplicará o novo Acordo Ortográfico.

25 fevereiro 2008

Adeus, Pai

21 comentários:

Paradoxo disse...

E a vida prossegue o seu caminho pra frente com os olhos na direcção da luz.

beijão muito grande!!

espectivas disse...

Perdi o meu pai faz agora (29) um ano. Perdi o pai e ganhei um anjo-da-guarda.

Anónimo disse...

Custa muito perder os pais (sei-o porque já perdi ambos), mas acabamos por recuperá-los na memória dos dias passados.E é essa doçura que permanece depois da mágoa que conta. Mas sei que agora dói muito.
Força.
Um abraço

José Quintela Soares disse...

Sem muitas palavras, que nada adiantam.

Lamento.

Teresa Teixeira disse...

Olha para o céu e vais lá encontrar uma estrelinha que brilha mais do que as outras...
Um beijo!

teresa

Teresa Teixeira disse...

Vamo-nos contactando? :)

Anónimo disse...

Um beijo grande.
Gonçalo Couceiro Feio

dissidentex disse...

Lamento.

Brikebrok disse...

Uma abraço . vera

Júlia Moura Lopes disse...

um abraço meu, também.

perdão pela demora,não sabia...

João Pedro disse...

Boa noite

Tamb�m perdi o meu pai a alguns anos e imagino o que possa estar a passar e a sentir porque cada pessoa sente a dor e a saudade � sua maneira.
Se precisar de algo:

biblioinfor@gmail.com

Muita for�a

Spectrum disse...

lamento Clara. não sei felizmente o que é perder os pais, mas sei o que é perder um mano. solidário, deixo-te a ternura possível, já que as palavras estão quase sempre a mais. um abraço solidário, fraterno e amigo

T disse...

Um grande abraço. Sei como é enorme a dor que sente.

Rui Caetano disse...

A vida corre à nossa frente e vamos assistindo à caminhada de uns para a outra fase da não existência.

MCA disse...

Agradeço a todos os que têm deixado mensagens de conforto aqui na BdJ, em particular àqueles a quem não agradeci directamente porque não deixaram contacto.
E peço desculpa por continuar tanto tempo sem escrever.
Realmente não consigo, por enquanto.
Como diz, e bem, o Paradoxo, "a vida prossegue o seu caminho". Ver-nos-emos em breve, por aqui.
Não desistam de vir, de vez em quando, bater à porta da biblioteca de Jacinto. Um dia atendo.

carlos disse...

minha querida clara...
apenas hoje soube, por via destas coisas dos blogues.
esta distância de vocês deixa-me um bocado a leste de tudo.

não há muito que se possa dizer nestas alturas.

mas seguramente o mais importante é manteres a memória do teu pai do exemplo de vida que ele te deixou.
é essa a imortalidade das pessoas.
vivem enquanto os deixarmos viver dentro de nós.

um abraço enorme.

carlos

Gaspar Matos disse...

Cara Clara,

Não é fácil falar destas coisas, principalmente quando já passamos pela mesma situação e o nosso luto é coisa do passado.
Estás no teu tempo, no tempo da tristeza. Logo virá a hora que te fará avançar mantendo, num canto especial da memória, as coisas boas, as lembranças ternas e os exemplos para o futuro da nossa própria vida.

Um abraço do tamanho do mundo.

Pedro Príncipe disse...

Amanhã, na caminhada no Douro, olhando a paisagem, haverá um momento em que pensarei em ti e que rezarei por ti e pela tua família - Força! "(...) Mas acreditamos no teu Reino, mesmo se sofremos!"
Um beijinho

O bibliotecário anarquista disse...

Um beijo Clara

JosePedroSilva disse...

ola Amiga
peço desculpa não sabia do teu pai,
so agora vi a o teu post,
não tenho vindo aqui.
os meus pêsames!

Maria, eu sei que deves estar a passar uma fase menos boa, sei que devia ser um pai fabuloso para ti,
mas infelizmente a vida é assim, um dia partimos ,

imagina assim amiga:
estás numa viagem de comboio, em que o teu pai estava no mesmo lugar que tu, e neste momento esta em outra carruagem, tu sabes que ele esta lá, em outra carruagem.

um dia, vais encontra-lo de novo,
como sabes a vida, é luz e mágia,
todos nascemos ,todos crescemos e morremos,
o melhor disto tudo é que um dia vamos encontrar todos num lugar mágico, onde não ´há tristeza e so alegria...

resto esperar por esse dia amiga,
vive a tua vida com esperança,
com olhos de esperança ,
recorda agora os melhores momentos que passaste com o teu pai, as tua infância, juventude ,como pessoa.
ele com certeza deu-te todas as qualidades que tu tens hoje,

observa cada objecto, cada flor, cada aspecto da natureza e imagina que o teu pai esta lá.
acredita que ele estárá sempre contigo, estará a proteger-te do céu...

cuida-t
um abraço forte

desculpa vir aqui escrevetr-te
como não tenho outra forma, tive que vir aqui...

força e muita luz para ti

José Pedro

Júlia Moura Lopes disse...

Querida MCA,

Lembrei de si.

abraço..