Aviso: na biblioteca de Jacinto não se aplicará o novo Acordo Ortográfico.

16 novembro 2011

Canta!

Com a devida vénia ao Luís Neves, que deixou este poema na minha caixa de comentários.

CANTA

Atreve-te a julgar. Julga os outros julgando-te a ti mesmo.
A natureza das coisas é a tua natureza. Respira-te, despe-te,
faz amor com as tuas convicções, não te limites a sorrir
quando não sabes mais o que dizer. Os teus dentes
estão lavados, as tuas mãos são amáveis, mas falta-te
decisão nos passos e firmeza nos gestos.
Procura-te. Tenta encontrar-te antes que te agarre a
voracidade do tempo.

Faz as coisas com paixão. Uma paixão irrequieta,
que não te dê descanso
e te faça doer a respiração. Aspira o ar, bebe-o com força, é
teu, nem um cêntimo pagarás por ele.
Quanto deves é à vida, o que deves é a ti mesmo. Canta.
Canta a água e a montanha e o pescoço do rio,
e o beijo que deste e o beijo que darás, canta
o trabalho doce da abelha e a paciência com que crescem
as árvores,
canta cada momento que partilhas com amigos, e cada amigo
como um astro que desponta no firmamento breve do teu corpo.

E canta o amor. E canta tudo o que tiveres razão para cantar.
E o que não souberes e o que não entenderes, canta.
Não fujas da alegria. A própria dor ajuda-te a medir
a felicidade. Carrega nos teus ombros os séculos passados e
os séculos vindouros,
muito do pó que sacodes já foi vida,
talvez beleza, orgulho, pedaços de prazer.
A estrela que contemplas talvez já não exista, quem sabe,
o que te ajudou a ser vida de quantas vidas precisou. Canta!
Se sentires medo, canta. Mas se em ti não couber a alegria,
não pares de cantar.

Canta. Canta. Canta. Canta. Canta. Constrói o teu amor,
vive o teu amor,
ama o teu amor. De tudo o que as pessoas querem, o que
mais querem é o amor.
Sem ele, nada nunca foi igual, nada é igual, nada será igual
alguma vez.
Canta. Enquanto esperas, canta.
Canta quando não quiseres esperar.
Canta se não encontrares mais esperança. E canta quando a
esperança te encontrar.
Canta porque te apetece cantar e porque gostas de cantar e
porque sentes que é preciso cantar.
E canta quando já não for preciso. Canta porque és livre.

E canta se te falta a liberdade.

Joaquim Pessoa

4 comentários:

Anónimo disse...

☆☆☆HAPPY EVERYDAY☆☆☆
雙眼皮 隆鼻 電波拉皮 眼袋 整形 整形 整形外科 隆鼻 抽脂 雷射溶脂 植髮 植髮 外籍新娘 大陸新娘 大陸新娘 外籍新娘 外籍新娘 跨國境婚姻

Luis Neves disse...

Não sei se já viste este video que vi no Facebook, que achei muito bom!
Que melhor presente poderiam receber os utilizadores do Metro , quando se está numa situação tão dificil.
Vê que vais gostar. Pode ser que para o ano participes num video destes...

Luis Neves disse...

Aqui vai o Link http://www.youtube.com/watch?v=nrJMavQgUf4&feature=share

Luis

PJA disse...

Um belíssimo poema de um grande poeta não suficientemente conhecido.