Aviso: na biblioteca de Jacinto não se aplicará o novo Acordo Ortográfico.

06 março 2021

Há precisamente cem anos, a revista Ilustração Portuguesa publicava uma reportagem sobre um professor da Faculdade de Medicina, Prof. Adelino Padesca, e os seus alunos que posaram numa fotografia de grupo.

Em primeiro plano, quatro mulheres: Maria Carolina Ramos, Maria José Paixão, Georgina Pimenta e Henriqueta dos Santos. Quatro mulheres notáveis mas uma delas mais ainda do que as outras. Georgina Pimenta, provavelmente a primeira mulher negra a licenciar-se em Medicina em Portugal.


 Ilustração Portuguesa. 2.ª série, n.º 785 (5 Mar. 1921)

3 comentários:

Anónimo disse...

Adelino Padesca foi um ilustre Cirurgião e Professor da Faculdade de Medicina.
Sei pouco dele pois meu Pai, Médico, foi quem o acompanhou nos seus derradeiros tempos. Além de o considerar como pessoa de excepção, meu Pai não falava de assuntos seus.
Soube que ele tinha feito, a si mesmo, o diagnóstico de cancro do pâncreas.
Resolveu ir aos EUA [então o topo da ciência médica] e lá, além de confirmarem o diagnóstico, deram-lhe a informação do pouco tempo de vida que lhe restava.

Eu estava no 1o ano da licenciatura em Medicina e servia de 'chauffeur' nas visitas que meu Pai fazia por toda essa Lisboa. Como agora não é evidente, uma pessoa que, por estar mal [ou por outras razões], não pode ir a uma consulta, nunca poderá ficar privada de cuidados médicos.
Ele tinha escolhido meu Pai para cuidar dele. Passei muitas 1-2-3 horas, no carocha de meu Pai, à sua porta na Rua Rodrigo da Fonseca. Com um volume do 'Testut' da Anatomia em cima do volante.
Também percebi que um doente grave não precisa de uma 'visita de médico'. Precisa de uma presença, de muitos, inumeráveis, dedos de conversa.

Eis o que me ocorre.
oliveira

MCA disse...

Muito obrigada pelo seu comentário. É muito importante "ressuscitar" estas pessoas notáveis que o tempo lançou para um injusto esquecimento.
Volte sempre.

Anónimo disse...

Como, periodicamente, confiro o que escrevo, venho pedir-lhe que me perdoe:
Confundi o Prof. Adelino Padesca com o Prof. Adelino José da Costa. O que escrevi refere-se a este e a meu Pai — há 60 anos.

O Prof. Adelino Padesca (que conheci de nome) foi um ilustre médico (agora chamariam de Internista) que modernizou a Medicina neste país e que formou alguns doa sábios da minha vida de aluno: Aleu de Almada Saldanha Quadros e Cruz e Eduardo Carneiro de Araújo Coelho (mentor de meu Pai, Artur de Oliveira).
Cumprimenta
oliveira