Aviso: na biblioteca de Jacinto não se aplicará o novo Acordo Ortográfico.

12 março 2007

Romaria

Não tenho palavras para falar de Elis Regina nem para explicar o quanto ela marcou a minha adolescência. Já escrevi e apaguei várias vezes este post. Decididamente, não consigo. Não tenho mesmo palavras. Fica a música e a presença.

Elis Regina - Romaria

É de sonho e de pó
O destino de um só
Feito eu, perdido em pensamentos
sobre o meu cavalo
É de laço
e de nó
De gibeira
o jiló
Dessa vida
cumprida
a só.

Sou caipira pirapora
Nossa Senhora de Aparecida
Ilumina a mina escura e funda
O trem da minha vida

Sou caipira pirapora
Nossa Senhora de Aparecida
Ilumina a mina escura e funda
O trem da minha vida

O meu pai foi peão
Minha mãe solidão
Meus irmãos perderam-se na vida
à custa de aventuras
Descasei
Joguei
Investi
Desisti
Se há sorte
Eu não sei
Nunca vi...

Sou caipira...

Me disseram, porém,
Que eu viesse aqui
Pra pedir de romaria e prece
paz nos desaventos

Como eu não sei rezar
Só queria mostrar
Meu olhar
Meu olhar
Meu olhar

Sou caipira...

5 comentários:

CN disse...

Os anos que isso tem... lembro-me bem da época em que essa canção fazia parte do som da rádio.

Maria Muadié disse...

Basta escutá-la. É mais que suficiente.
Esta música é triste...

jose quintela soares disse...

Não são precisas palavras.

Teresa disse...

Aqui fica outra dela. Inesquecível.

Elis Regina - Fascinação

MCA disse...

Teresa, obrigadíssima! Andei à procura desta no Youtube (ela cantou-a também no espectáculo em Lisboa) mas não encontrei. Muito obrigada!