Aviso: na biblioteca de Jacinto não se aplicará o novo Acordo Ortográfico.

08 novembro 2010

O rigor da informação nos media portugueses

Vem este meu post a propósito da notícia que ouvi hoje, de manhã, na TSF, sobre o (aí anunciado) encerramento da Biblioteca Nacional.
aqui escrevi sobre o encerramento parcial e temporário da Biblioteca Nacional pelo que não vou alongar-me com esclarecimentos redundantes.
O que me traz de novo ao tema é o grande destaque dado hoje nos noticiários da TSF ao (suposto) encerramento total da Biblioteca Nacional. A falta de rigor com que foi dada a notícia sobre a Biblioteca Nacional - mascarada de grande rigor, acompanhada até de uma entrevista à sub-directora da instituição - é inadmissível numa rádio que se pretende de referência na informação em Portugal. Continuo a interrogar-me se é estupidez ou má fé o que leva pessoas responsáveis (desde a Doutora Maria Filomena Mónica aos jornalistas da TSF, passando pelo deputado e professor universitário Rui Tavares e tantos distintos signatários da famosa Petição) a insistir em ignorar toda a informação e todas as explicações técnicas que têm sido repetidamente fornecidas a quem quiser estar informado. Devo dizer que não tenho na conta de estúpida nenhuma das pessoas que nomeei...
E eu pergunto-me, como é que posso confiar em outras notícias sobre as quais não tenho informações de outras fontes? Como posso formar opinião esclarecida sobre qualquer tema em relação ao qual não tenha informação directa? Quantas vezes terei até formado juízos errados sobre qualquer tema apenas porque a informação que me foi disponibilizada pelos meios de comunicação social é truncada, distorcida ou mesmo falsa?
Pelas costas dos outros vemos as nossas, diz o povo. E pela forma como a comunicação social trata um assunto que eu conheço bem posso imaginar como trata os que conheço mal. E ficar de pé atrás.

4 comentários:

Professor disse...

A situação da Comunicação Social não parece estar longe da já degradante situação da Classe Política. Não será geral mas os bons são tão poucos que quase se não dá por eles! Abraço.

ABS disse...

Tentando ser superiormente civilizado, como recomendado, direi que o grau de literacia de uma parcela significativa dos honrados jornalistas que nos informam está algo aquém do desejável. esta situação vai-se tornando pior com as dezenas de jovens estagiários a quem são confiadas responsabilidades para as quais estão manifestamente impreparados. A regra, assim, deverá ser paa o leitor a mesma que para o jornalista: confirmar a notícia por fontes alternativas. Abraços musicais!

MCA disse...

ABS, sê bem aparecido!

Demo Gra Pia disse...

122 601 assinaturas em 10 de Novembro de 2009
08 Novembro 2010
gosto gosto gosto......

e ainda não querem um acordo

talvez a ortografia melhorasse